[ editar artigo]

Como passar pelo desafio da maternidade

Como passar pelo desafio da maternidade

Hoje decidi escrever para vocês sobre algumas dicas para lidar melhor com alguns desafios muito presentes na maternidade, afinal, ser mãe e se tornar pai é um grande sonho da maioria das mulheres e homens. No entanto, a maternidade e a paternidade são repletos de desafios diários, seja qual for a idade dos filhos. E como "filho não tem manual de instruções", muitas vezes as mães e os pais sentem-se perdidos nos conflitos do dia a dia. Então vamos lá!

Conversar, buscar informações e ser realistas!

Já perceberam que o tempo todo evitamos falar das dificuldades e dores da maternidade e da paternidade? Parece que é um sacrilégio e que determinados sentimentos e sensações são indignos de uma mãe ou um pai, como sentir-se cansada, querer um tempo pra si, até mesmo reclamar dos comportamentos dos pequenos, afinal vocês receberam a dádiva de dar a vida a um novo serzinho saudável e feliz! Pois é! Mas todos esses sentimentos fazem parte dos conflitos do dia a dia com os filhos. Por isso aceitem, conversem, demonstrem suas inseguranças, busquem informações (também não existe manual para se tornar pai ou mãe, mas existem muitas pesquisas estudos e conhecimentos a respeito da infância, então vale á pena se munir de informações e estudos para definir como funciona melhor em seu contexto familiar).

Aceitar ajuda

Desde os primeiros meses de vida do bebê, durante os quais os pais passam por muitas situações novas e um dos grandes desafios que é a privação do sono (aliás, vocês sabiam que isso era usado como método de tortura durante o período de Guerra?! Pois é! A provação do sono gera muito mais do que o cansaço físico e mental!), é importante aceitar ajuda de amigos, parentes e pessoas de confiança. Isso não os torna menos ou mais pais, melhores ou piores genitores! Criança em casa é cansativo física e emocionalmente e receber ajuda é muito positivo, tanto para os pais, quanto para os bebês e, certamente os amigos e parentes adoram curtir seu pequeno e essa nova e encantadora fase com vocês!

Evitar se comparar e comparar seus filhos com o dos outros

Toda família passa por conflitos com os limites, ansiedade, sexualidade, excessos, segurança, sono, alimentação, paciência (e a falta dela), etc. Mas lembre-se de que nem sempre aquilo que é bom para o outro, funciona para você, que nem tudo aquilo que o outro acredita é o que é verdadeiro e que o principal é fazer seu melhor, se respeitando como pessoa, como pai e mãe que nem sempre acertam, que têm seus momentos difíceis e nem por isso são melhores ou piores. É muito provável que tudo isso só se passe em sua cabeça. Busque sempre aquilo que está de acordo com suas crenças e rotina familiar. É bem provável que seus filhos sempre acharão vocês a melhor mãe e o melhor pai do mundo!

Viver uma fase de cada vez

Bem diz a expressão popular que “a maternidade é como um jogo de vídeo game: a cada fase que se passa, inicia-se uma mais difícil”. Não sei bem se mais difícil ou mais fácil, porém todas são certamente desafiadoras. Por isso, viva os prazeres e dificuldades de cada uma delas sem pensar tanto no que vem pela frente. Faça o seu melhor no momento, sem adiar ou tentar prever o futuro. Se você agir de acordo com cada fase, respeitando os limites e conquistas delas, é possível que a cada nova etapa você colha bons resultados com aquilo que plantou.

Ser uma mãe ou um pai possível

Claro que sempre queremos o melhor para os nossos filhos, mas é importante estar atentos para as realizações e conquistas pessoais. Muitos pais passam grande parte do tempo tentando encontra a perfeição (que, a propósito, não existe) como pai e mãe. E nessa busca, acabam perdendo momentos e experiências importantes com os pequenos! Respeitem-se como pais e mães e principalmente como pessoas. Os filhos querem pais felizes, realizados, dispostos, e não pais frustrados, que acabam tendo a maternidade/paternidade como algo limitador para si e que lhes causa frustração. Por isso, sejam pais possíveis, os melhores que conseguirem ser, mas cientes de que são seres humanos com limitações e habilidades que devem ser priorizadas, para o bem de cada um, da família e, principalmente, dos filhos!


Larissa Fonseca é Pedagoga graduada pela USP, Pós Graduada em Educação Infantil, Psicopedagogia e Neuro Pedagogia, Psicomotricista, especialista no Universo do Brincar pelo centro de estudos filosóficos Palas Athena, em Psicanálise e Educação pelo Instituto de Psicologia da USP e em Comportamento e Desenvolvimento Infantil, Escritora. 
www.larissafonseca.com.br
Facebook/sosmaes
Instagram/duvidas_de_mae
YouTube/Larissa Fonseca Pedagoga

Comunidade Bebê 123
Comunidade Bebê 123
Comunidade Bebê 123 Seguir

Redação Bebê 123

Ler matéria completa
Indicados para você