[ editar artigo]

Entenda por que o bebê leva tudo à boca

Entenda por que o bebê leva tudo à boca

 

Você sabia que todos os bebês passam por essa fase e ela é necessária para o desenvolvimento da criança? Sendo assim, os pais não devem impedi-la. É importante apenas monitorar esse comportamento para que o bebê não coloque objetos perigosos na boca.

E por que isso acontece? Vamos entender a importância da fase que preocupa tantos pais: por que o bebê leva tudo à boca.

Porque o bebê leva tudo à boca?

Desde o nascimento, necessidade e gratificação ficam concentradas predominantemente em volta dos lábios, língua e, um pouco mais tarde, dos dentes do bebê. “A pulsão básica do bebê não é social ou interpessoal, é apenas receber alimento para atenuar as tensões de fome e sede.”

Enquanto é alimentada, a criança é também confortada, acalentada e acariciada. No início, ela associa prazer e redução da tensão ao processo de alimentação. É a chamada FASE ORAL da criança, que se inicia desde quando o bebê nasce e perdura até os dois aninhos de idade.

Recomendações

Nessa fase, os pais não precisam se preocupar com isso, a não ser, óbvio, com objetos perigosos e que correm o risco de serem engolidos. Cabe aos pais vigiarem e não deixar qualquer objeto pequeno ou que possa machucar, ao alcance dos pequenos. Portanto, ofereça objetos macios, limpos e que não tragam riscos ao bebê.

Na fase oral, a boca significa muito mais do que a entrada por onde a criança ingere os alimentos, porque é pela boca que o bebê começa a conhecer o mundo. Inclusive, a boca é o centro das maiores melhores experiências nos primeiros meses de vida. Por isso, o bebê começa a colocar as mãozinhas na boca, os dedos, pés e os brinquedinhos que você coloca nas mãozinhas dele. E isso é tão importante para ele! 

A fase oral do bebê

Porque o bebê leva tudo à bocaNesta fase, o que está em destaque é o que os pediatras chamam de zona erógena bucal.

O prazer da sucção ocorre independente das necessidades alimentares, pois o bebê não tem noção de um mundo exterior diferenciado dele, como a mãe, por exemplo, que é compreendida como extensão do seu corpo. É por isso que o bebê gosta tanto de brincar com o bico do seio ou com a mamadeira mesmo quando já não mais quer o alimento. É prazeroso para ele e importante, como já vimos aqui.

Se a mãe, nesse momento, conversa com seu bebê, sorri pra ele, o acaricia, ele construirá a ideia de que existe algo fora do seu mundo interno, que não é ele, mas que ele também pode amar. Assim, mais à frente o bebê conseguirá suportar um pouco mais o tempo de espera quando tem fome, a demora do peito ou da mamadeira chegar.

Além disso, quando mais tarde aparece a dentição, a criança passa a morder tudo o que leva à boca, inclusive o seio da mãe, se ela ainda estiver amamentando. É através do ato de morder que a criança experimenta suas primeiras pulsões agressivas. Sendo assim, é importante não associar esse momento ao momento de não amamentar mais, porque a pulsão agressiva é importante na constituição e no desenvolvimento da criança. 

Reprimir ou impedir que a criança use a boca como conhecimento do mundo pode até causar um efeito contrário, prolongando a fase de experimentação oral. E não se preocupe! Essa fase normalmente desaparece naturalmente até os dois anos de idade.

É possível prevenir acidentes!

É natural que a mãe e o pai fiquem apreensivos com o que a criança está colocando na boca. Afinal, todos nós já ouvimos alguma história sobre o filho de um amigo que engasgou com um carrinho ou que tenha engolido uma moeda.

É possível e superimportante prevenir os acidentes, até mesmo porque, até os 5 anos, não se pode confiar 100% no senso de segurança das crianças, segundo os pediatras. Então, é imprescindível organizar a casa de forma segura e tirar do alcance da criança todos os objetos perigosos. 

O que você precisa deixar longe do seu filho:

Deixe a criança longe de objetos pequenos

A chance de engolir algo pequeno é muito grande!

São vários objetos: tampas de caneta, peças de montar, moedas ou até mesmo pequenos pedaços de giz são coisas que podem parar no estômago do seu pequeno. Mas engolir nem é a pior parte – os objetos geralmente acabam eliminados nas fezes. O problema maior é se um desses itens cair no trato respiratório do bebê. Eles podem prejudicar a respiração e será preciso uma cirurgia para retirá-los. No caso de brinquedos, escolha aqueles adequados para a faixa etária do seu filho. Leia as embalagens, pois elas sempre trazem orientações a respeito disso.

Tenha cuidado com objetos pontiagudos ou com cantos afiados

Tenha precaução e cuidado redobrado com chaves, lápis apontados, caixas com cantos pontudos... Podem até ser objetos grandes, que seu filho não vai engolir, mas eles podem machucar o rosto, os lábios e a gengiva.

Objetos tóxicos… Você já deve saber, mas é válido ler algumas dicas importantes!

São coisas aparentemente “bobas”, mas, às vezes, na correria do dia a dia, esquecemos a bateria do seu celular pela casa afora, do seu tablet e a pilha do controle remoto, que parecem inofensivos, não é mesmo?

As mães nunca se lembram de que os filhos crescem e nos esquecemos de remédios e produtos de limpeza em lugares pouco confiáveis.

Crianças com 4 aninhos, já começam a procurar algum lugar para subir e, se elas já têm altura para alcançar… o problema já está formado.

As caixas de bebidas e de remédios, as cores, acabam chamando a atenção das crianças, portanto evite colocar esses produtos em garrafas de refrigerante ou em recipientes próprios para armazenar alimentos. Isso evita que as crianças se confundam.

O ideal é que esses materiais fiquem trancados no alto dos armários, completamente fora do alcance das crianças.

Não há problema algum na fase em que a criança leva tudo à boca, só é preciso ter alguns cuidados. Curta essa fase do seu bebê!

 

Publicado por Redação Bebê 123

Comunidade Bebê 123
Comunidade Bebê 123
Comunidade Bebê 123 Seguir

Redação Bebê 123

Ler matéria completa
Indicados para você