[ editar artigo]

Meu Parto Humanizado - O Renascimento

Meu Parto Humanizado - O Renascimento

Março/2017: Descubro uma gestação não planejada, pânico se instala por questões práticas, afinal, meu filho já estava fazendo 2 anos, tínhamos vivido nossos primeiros 1000 dias juntos, ressignificando nosso amor, após as violências sofridas, eu me via mais preparada para voltar a atuar como psicóloga, além de uma grande inquietação e medo de passar por tudo que havia passado 2 anos antes.
Felizmente todas as marcas, boas e ruins, nos fazem pessoas diferentes, eu era uma nova mulher, 2 anos depois, não sabia muito bem o que fazer, mais sabia que precisava lutar para que tudo fosse melhor dessa vez.
Com 7 semanas de gestação, entrei na internet e fui procurar uma doula que atuasse aqui no ABC/SP, encontrei algumas e pela foto escolhi a Raquel Tavares, mandei uma mensagem de WhatsApp e fui tão acolhida que já sentia um conforto para todo o medo que sentia.
Marcamos uma primeira conversa, com muito carinho e chazinho fui acolhida, mas o medo voltou ao entender que a ideia de ir novamente para o hospital do plano de saúde, ser atendida por uma equipe de médicos plantonistas tinha grande chance de se repetir tudo o que havia 
vivido 2 anos antes.
Mas ela não me desamparou, me muniu de informações, indicou vários livros: “Eu não quero (outra) cesárea”, “Parto Normal ou Cesárea”, além de “Atenção Plena Mindfulness”, li todos e comecei outros, como “Parto com Amor”, que me fizeram começar a cogitar a possibilidade de ter um parto domiciliar como sugerido por ela, ainda com muito receio, medo de qualquer intercorrência, além da dificuldade de poder bancar isso financeiramente.

Inicialmente meu marido vetou enfaticamente a ideia do parto domiciliar, até que inaugurou o Hospital São Luiz, em São Caetano do Sul/SP, muito próximo da minha residência, aí a conversa do parto domiciliar começou a fazer muito mais sentido pra ele que tinha medo de termos qualquer intercorrência e estarmos longe de um hospital.
Por indicação da nossa doula, conhecemos a Equipe do Mamastê que atende no Espaço Santosha em São Caetano do Sul/SP e começamos nosso pré-natal com as obstetrizes Thais Trevisan e Raquel Carvalho que nos acolheu com tanto carinho e profissionalismo que confirmava sempre a certeza de que havíamos tomado a melhor decisão para termos a assistência que desejávamos e merecíamos.

Confesso que quando li o Termo de Consentimento Informado no qual constam o Plano de cuidado emergencial e as Descrições de Insucessos e Complicações quis desistir e nessa hora o marido que é Contador, apontou que eram estatísticas e me acalmou novamente, além do apoio e cuidado que recebemos das obstetrizes durante todo pré-natal.

A opção pelo parto domiciliar planejado só se manteve possível pra gente por ter tido uma gestação de risco habitual.

Importante lembrar que na escolha pelo parto domiciliar é necessário que se tenha um plano B para intercorrências, e no nosso caso era o Hospital Municipal Euryclides de Jesus Zerbini em São Caetano do Sul/SP por ser o mais próximo da nossa residência, para emergência, e ainda tínhamos a possibilidade de ir para o Hospital São Luiz - Anália Franco/SP, e ter a assistência do Dr. Paulo Noronha que aceitou ser nosso backup sem cobrar disponibilidade o que viabilizou ainda termos os cuidados que desejávamos em caso de ser necessária uma transferência para o hospital.

Renascimento

Novembro/2017: 39 semanas de gestação - Finalmente conseguimos fazer o ensaio fotográfico de gestante, marcado desde antes de 30 semanas, mas vários contratempos impossibilitaram que tivesse sido realizado antes.

39 semanas e 1 dia - A doula veio em casa para a última consulta antes do parto, conversamos por horas e horas, falei tudo o que ainda me angustiava...

39 semanas e 2 dias - Mandei mensagem pra doula contando que tive dores inéditas, mas consegui descansar com a bolsa térmica.
Acordei disposta para a última aula de pilates para gestante com a querida Patrícia Bueno. 
Nesse dia, dormi a tarde toda, como se soubesse que não conseguiria dormir essa noite.

Antes de deitar voltei a sentir as dores da noite anterior, um pouco mais próximas, mandei mensagem no grupo do WhatsApp que estava com o marido, as obstetrizes e a doula. 
Conforme orientaram tomei um chá de camomila bem forte e ouvindo hipnose do App do Gentlebirth dormi.

39 semanas e 3 dias - Acordei às 3h com contrações de 10 em 10 minutos, tomei banho e as contrações continuaram com o mesmo intervalo. 
Às 6 da manhã comecei a perder o tampão e as contrações ficaram mais próximas.
Antes das 8h o tampão começou a sair com sangue, avisei a equipe e a doula me lembrou de que seria um sinal de amolecimento do colo do útero. Fiquei animada, feliz e emocionada...

À partir de então, as contrações já estavam de 5 em 5 minutos, a doula estava a caminho e chegou em casa por volta das 9:30h.
Ela cuidou para que eu me alimentasse sempre que possível, e que eu descansasse bastante, sempre com palavras carinhosas e bolsas térmicas que aliviavam bem as dores. 

Depois que ela chegou, não vi mais meu celular, nem relógio. 
Angela, sobrinha/filha chegou para tirar as fotos! Ju, prima/irmã para cuidar do maior que logo chegaria da escola.
Lembro de cada abraço que recebi quando elas chegaram e também quando chegaram as obstetrizes, estava onde queria estar, com quem queria estar.

Nesse momento as contrações eram bem próximas e fortes. 
As obstetrizes chegaram umas 14:00h, sei disso porque vi depois no grupo do Whatsapp.

Durante todo o tempo, marido cuidando de tudo! Foi perfeito, meu parceiro, meu guardião! Trouxe o filho da escola, então as obstetrizes pediram pra fazer um exame de toque para avaliar o andamento do trabalho de parto.

Eu não queria toque, por medo de ficar ansiosa ou frustrada, mas aceitei por acreditar muito na assistência. 
Fizeram o exame e estava com 9cm!

Não aguentei de tanta emoção, só de lembrar sinto vontade de chorar de alegria como chorei naquele dia, abraçada no marido, agradeci por ter estado sempre do meu lado e acreditado que conseguiríamos!

Fui pra banheira que estava montada na sala e foi uma delícia entrar nela... por pouco tempo, já que as contrações começaram a ficar muito mais fortes e dolorosas, com muita pressão!

Até aquele momento estava curtindo todas contrações, a partir dali comecei a sentir medo, muito medo. Recebi muito apoio do marido e da equipe.

Meu filho maior estava no quarto assistindo TV e vinha de tempos em tempos ver se o irmão tinha saído. 
Senti o topo da cabeça saindo, toquei nos cabelinhos. Que emoção! Até hoje, revivo esse momento toda vez que acaricio sua cabecinha.
Depois saiu toda cabeça e senti ele virando para sair por completo, nomeio como a maior expressão da natureza, nossos corpos trabalhando juntos!

Nasceu às 18:00h e veio direto para o meu colo, primeira coisa que vi foi um nó verdadeiro no cordão umbilical!
Ficou no meu colo por todo o tempo que quisemos, o irmão entrou na banheira e o recebeu com um beijo!
O pai cortou o cordão muito tempo depois...
Apgar 10/10 - 3830kg

Agradeço imensamente a todos que estiveram comigo nesse dia tão especial e todos que contribuíram para que fosse possível receber esse presente da vida.

Dedico esse relato a todas as mulheres que já relataram os nascimentos de seus filhos, saibam que suas palavras me deram força e coragem, e especialmente àquelas que tiveram seus partos roubados.

Comunidade Bebê 123
Vanessa Ferreira da Silva
Vanessa Ferreira da Silva Seguir

Mãe de 2 meninos! A maternidade tem sido a experiência mais enriquecedora que já vivi na vida! Cada dia aprendo mais com meus meninos.

Ler matéria completa
Indicados para você